Salvinia


Salvinia auriculata

Classificação taxonômica


Reino: Plantae

Divisão: Monilophyta

Classe: Pteridopsida

Ordem: Salviniales

Família: Salviniaceae

Género: Salvinia


Nomes comuns

salvinia, mururé-carrapatinho, orelha-de-onça, samambaia d'água e carrapatinho








Caracterìsticas gerais

À salvinia é uma planta aquática flutuante da família Salviniaceae, sua morfologia é bastante peculiar, ela consiste basicamente em um sistema de brotos, possui nós e entre-nós, e de cada nó nascem três folhas, duas delas são verdes e flutuantes com pelos hidrofóbicos na superfície que funcionam como repelentes de água, e à terceira têm basicamente à função de raiz, ela é modificada e submersa adaptada para absorção de água e íons. Não possuem verdadeiras raízes pois à terceira folha faz basicamente à função delas.


É uma macrófita bastante comum em água doce, que quando em ambientes favoráveis se disseminam muito rapidamente por propagação vegetativa (reprodução assexuada) e pode podem dobrar sua massa em 2 - 3 dias, assim consegue colonizar grandes extensões, em relativamente pouco tempo invadindo grandes extensões de corpos d’água, principalmente em águas lênticas e ricas em nutrientes.

Habitat e distribuição geográfica

É encontrada em águas doces, possui ampla distribuição geográfica sendo encontrada na América Central e maior parte da América do Sul e em todo o Brasil.

Brejo repleto de Salvinea

Importância ecologica

É responsável por grande produtividade primária em ecossistemas aquáticos, e isso contribui para o aumento dos nichos ecológicos, e diversidade do animais aumentando assim à complexidade na dinâmica dos ecossistemas.


É considerada uma planta daninha por se proliferar de forma indesejada e com facilidade em diversos tipos de ecossistemas aquáticos.


Sua decomposição pode esgotar o oxigênio dissolvido na água e à cobertura feita por ela na superfície pode obstruir a entrada de luz e oxigênio na água.

Descontaminação de ambientes

À fitorremediação possui baixo custo, e à salvinia é uma das opções entre as macrófitas estudadas no processo de bioacumulação de metais pesados, além de serem tolerantes à poluentes que são acumulados em seus tecidos e de fácil manuseio.


São muito importantes para recuperar ambientes contaminados pois possui elevado potencial na acumulação de nutrientes e substâncias inorgânicas, logo recomenda-se o uso dela na tecnologia biológica de tratamento de efluentes.


Têm sido utilizada como bioindicadora de corpos ‘d'água passíveis de eutrofização ou contaminados, pois possui sensibilidade à diferentes agentes tóxicos como cadmio, flúor, zinco, chumbo.


É uma fitorremediadora para o chumbo jáque ela o acomula em seus tecidos em quantidades consideráveis, seus tecidos têm grande capacidade de acumular íons metálicos.


CLIQUE AQUI E DEIXE SUA OPINIÃO E DICAS PARA NOVOS ARTIGO.



  • Facebook
  • YouTube